Categoria: Dicas

Dicas para administrar os funcionários do condomínio

Contratar um novo funcionário para o condomínio é uma tarefa que exige muita responsabilidade, atenção e cuidado. O responsável pela tarefa deve analisar alguns pontos essenciais para saber se o profissional será adequado à rotina e às necessidades do condomínio. 

No post de hoje, separamos algumas dicas sobre o que o contratante deve prestar atenção na hora de avaliar seus possíveis novos funcionários. Confira abaixo!

O primeiro ponto a ser levado em consideração é a origem dos currículos. Se vier de alguma indicação, avalie se é uma pessoa conhecida e de confiança. Se foi deixado diretamente na portaria, é necessário um pouco mais de atenção. Um bom jeito de resolver essa questão é anunciando a vaga disponível em empresas de RH confiáveis, que poderão ajudar com o recrutamento. 

Outra boa dica é buscar o candidato no registro de dívidas. Aqui, a intenção não é considerar pequenas dívidas, mas sim as maiores, que podem causar problemas futuros. Caso a pessoa tenha o perfil desejado, é melhor que se esteja ciente da situação. Além disso, também é essencial tirar e analisar as certidões negativas, tanto a cível quanto a criminal.

A análise do currículo do candidato deve ser feita antes da entrevista, para que se possa comparar o que está no papel com a prática. Não é incomum que os candidatos a uma vaga de emprego exagerem – e, muitas vezes, até inventem algumas habilidades. Para saber se o profissional será adequado às necessidades do condomínio, deve-se analisar ponto a ponto do que está especificado no currículo ao entrevistá-lo pessoalmente.

O responsável pela contratação deve estar atento e sempre evitar fazê-lo por impulso, mesmo que o momento pareça emergencial. Analise com calma todos os currículos e os pontos levantados, faça as entrevista, confira documentos, referências e tudo mais o que for necessário. Se achar melhor, o condomínio pode contratar um profissional ou empresa para a realização do processo seletivo, evitando dores de cabeça e maiores problemas.

Despesas cartoriais na compra do imóvel: quem é o responsável pelo pagamento?

Comprar um imóvel é muito mais do que apenas procurar um que se encaixe em suas necessidades, acertar o pagamento e se mudar. O processo envolve muitas outras etapas menos conhecidas e que podem trazer muitas dúvidas ao novo proprietário.

Uma das principais questões é a documentação necessária para a compra e venda e para a regularização do imóvel. Essa papelada sempre acaba gerando um custo extra, visto que precisa ser regularizada por um cartório. Sendo assim, muita organização é necessária, para que estes custos “extras” estejam dentro do orçamento geral do comprador.

Mas afinal, quem é o responsável pelo pagamento destas despesas?

Exceto em casos de acordos especiais entre as partes, quem deve arcar com os custos cartoriais é sempre o comprador. Segundo especialistas em direito imobiliário, é essencial que o novo proprietário saiba que terá gastos, como o ITBI, o registro e a escritura. Ao ter essa noção, o processo de negociação será mais tranquilo e sem surpresas desagradáveis no futuro.

Qual é o papel dos cartórios nessas negociações?

Os cartórios de registros de imóveis são responsáveis por guardar a documentação referente a esse tipo de bem. O registro do imóvel, por exemplo, comprova quem é o proprietário, constando as principais características da casa ou apartamento. A escritura, que é uma preocupação imediata para quem for pagar o imóvel à vista, é de responsabilidade do tabelião, e será cobrada imediatamente. Ela somada ao ITBI e ao registro podem somar entre 5 e 6% do valor do imóvel.

Vale destacar que o valor gasto com essa documentação pode variar de acordo com as taxas e impostos cobrados em cada lugar do país, além do preço do imóvel, se foi pago através de financiamento ou à vista, entre outros fatores.

Para que a negociação ocorra de forma tranquila e sem grandes surpresas, é importante que os compradores se programem para arcar com o valor do imóvel em si e estes custos extras. Isso é fundamental pois, se o comprador não o fizer, ele pode sofrer algum tipo de restrição caso o antigo dono tiver algum problema e o bem não estiver em seu nome.

Seguro Garantia Cota Condominial: por que contratá-lo?

Todos estamos sujeitos a imprevistos em nosso dia a dia. Por isso, é essencial que estejamos preparados para lidar com estas adversidades.

Neste contexto, viemos falar sobre o Seguro Garantia Cota Condominial. Este seguro é destinado aos condôminos, e tem o objetivo de garantir o pagamento da taxa condominial em situações inesperadas, como morte, invalidez ou perda de renda por desemprego involuntário.

Mas por que contratar este seguro?

É simples: por apenas R$10,80 por mês – ou apenas R$0,36 por dia, o condômino garante, por um prazo de até 6 meses a partir da ocorrência de sinistro, o pagamento de suas obrigações ordinárias e extraordinárias com o condomínio, limitadas a R$1.600,00 por mês. Estes valores serão repassados diretamente ao condomínio pela seguradora todos os meses, incluindo os eventuais reajustes.

Este seguro é renovado mensalmente e é opcional, e sua vigência se inicia no primeiro dia do mês seguinte ao pagamento do valor. Aqui, vale lembrar que, ao contratá-lo, haverá uma carência de 2 meses em caso de sinistro. Após este período, o segurado estará completamente coberto.

O Seguro Garantia Cota Condominial é de grande importância para quem estiver procurando uma forma de se proteger em momentos difíceis, especialmente no momento economicamente delicado que vivemos atualmente.

 

Para conhecer todos os detalhes deste Seguro, acesse www.atlantida-adm.com.br => Seguros => Garantia Cota Condominial. Para aderir, preencha o formulário ou entre em contato através do e-mail cobranca@atlantida-adm.com.br, informando seu condomínio, unidade e CPF.

 


Warning: html_entity_decode(): charset `ISO-8559-1' not supported, assuming utf-8 in /home/atlantid/public_html/blog/wp-includes/general-template.php on line 3237
1 2 3 53