Cadeiras de rodas obrigatórias em condomínios?

Os prédios residenciais e comerciais do Estado do Rio poderão ser obrigados a disponibilizar cadeiras de rodas para moradores ou visitantes, de acordo com o Projeto de Lei nº 313/2015, do deputado estadual Luiz Martins. O PL, que foi debatido em primeira discussão na Assembleia Legislativa recentemente, determina, no artigo 2º, que “o equipamento deverá permanecer em local adequado, de fácil acesso, protegida de qualquer dano e disponibilizada a qualquer morador e/ou visitantes que comprovem a necessidade precípua de seu uso, até o devido atendimento ou socorro que se faça necessário”.

Se aprovada a proposição, os condomínios terão apenas 60 dias para se adequarem. O Secovi Rio pondera que, apesar da boa intenção, o PL merece ser analisado e ajustado para que alcance a efetividade desejada, sem onerar os condomínios desnecessariamente, beneficiando aqueles que efetivamente tenham necessidade momentânea de locomoção, e que não prejudique o socorro.

Vale lembrar que em determinadas ocorrências a utilização da cadeira de rodas por moradores ou empregados dos condomínios pode ser até perigosa. Caso seja necessária a remoção de alguém, o procedimento mais adequado seria solicitar o auxílio de socorristas públicos (SAMU). Some-se a isto o fato de que o socorro pode ser prestado de forma inadequada, agravando o estado de saúde da pessoa que se pretende auxiliar.

O não cumprimento do disposto nesta lei sujeitará os prédios residenciais e comerciais à advertência e multa de R$ 1 mil por mês de não-adequação.

Prefeitura do Rio pede atenção no 1º dia útil de funcionamento do VLT

O secretário de Governo Rafael Picciani pede a motoristas e pedestres, que tenham atenção redobrada nesta segunda-feira (6), neste primeiro dia útil de funcionamento do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), entre a Zona Portuária e o Centro do Rio. Nesta primeira semana experimental, o VLT vai circular das 12h às 15h, da Parada dos Museus ao Aeroporto Santos Dumont. As viagens, até o dia 1º de julho serão gratuitas.

Apesar da campanha de informação que vem sendo feita desde março e de a sinalização estar toda pronta, Picciani alerta para o fato de o VLT ser um elemento novo no trânsito do Centro e ser um veículo muito silencioso. Por isso, é preciso que todos – pedestres e motoristas – respeitem a sinalização de trânsito para evitar acidentes.

O secretário destacou que no domingo (5), dia da inauguração, o VLT fez 16 viagens, lotado de passageiros que queriam conhecer o novo transporte. Nesta primeira fase, os trens, que circulam em baixa velocidade vão passar por oito paradas.

O VLT vai ter duas linhas: da Rodoviária Novo Rio ao Aeroporto Santos Dumont e a outra da Rodoviária à Praça XV. E o prefeito Eduardo Paes garantiu que até a Olimpíada as duas linhas vão estar funcionando plenamente.

(G1)

Que tal tornar o seu condomínio sustentável?

São tendência assuntos como a sustentabilidade que, em prol de um mundo melhor, buscam soluções para um planeta mais equilibrado, com atitudes ecologicamente corretas. Com a Conferência Mundial para o Meio Ambiente (Eco-92), no Brasil, o país adotou uma posição mais ativa em relação às causas ambientais.

Acompanhando essa onda, o conceito de condomínio sustentável surgiu. Esses condomínios são dotados de medidas que conferem o título de sustentabilidade a eles, como a coleta seletiva de resíduos, reaproveitamento da água, reciclagem de materiais, telhado verde, aquecimento solar, entre outras.

Não são só os condomínios novos que podem se adequar ao conceito sustentável. Condomínios antigos podem se adaptar a ideia, adotando normas como a coleta seletiva e uso de lâmpadas econômicas, por exemplo. O investimento inicial para a adequação será compensado com a economia nas contas de luz.

O que mais importa mudar, em relação a todo o processo, é a mentalidade da sociedade. Ter a consciência do quanto nossas atitudes interferem no bem-estar mundial é o primeiro passo para uma transformação geral comportamental. Afinal, todos querem um lugar melhor para as futuras gerações, não é verdade?!

Em relação às ações que o condomínio pode tomar para se tornar mais sustentável, deve ser feito, inicialmente, um diagnóstico para se atestar o nível de sustentabilidade que o condomínio já possui, bem como determinar o que pode ser feito para melhorar esse nível, reduzindo custos e melhorando o ambiente para todos.

Depois disso, entre as primeiras atitudes a serem tomadas estão o controle do tabaco (proibição do fumo nas áreas internas do empreendimento), a utilização de capachos especiais para a contenção da poeira nas entradas do condomínio, uso de produtos sem cloro e, é claro, a coleta seletiva.

Outras atitudes são o reuso da água da chuva, implantação de paisagismo com baixas necessidades hídricas e irrigação controlada, medidores individuais, utilização de tintas, vernizes e carpetes com baixa emissão de compostos orgânicos voláteis e compra de equipamentos elétricos de baixo consumo (no caso de novas aquisições).

Também é importante alertar, conscientizar os condôminos e manter esse pensamento ativo sobre as vantagens, para todos, da sustentabilidade. Isso pode ser feito através de manuais a serem distribuídos, lembretes nos elevadores e outras áreas de alta circulação ou através de uma Assembleia, inclusive.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o assunto, que tal transformar seu condomínio em ecologicamente correto, o que só tem a trazer benefícios para todos os lados? Mão na massa!


Warning: html_entity_decode(): charset `ISO-8559-1' not supported, assuming utf-8 in /home/atlantid/public_html/blog/wp-includes/general-template.php on line 3237
1 212 213 214 215 216 243