Avenida Brasil tem dois trechos liberados ao tráfego nesta segunda

Dois trechos da pista central da Avenida Brasil que estavam interditados para as obras de construção do corredor de BRT Transbrasil serão liberadas ao tráfego nesta segunda-feira, dia 11, a partir das 4h: entre o Caju e a Ilha do Governador e do Trevo das Margaridas ao Trevo das Missões.

Segundo a Prefeitura do Rio, com a alteração, as faixas seletivas voltam a operar apenas para a circulação de ônibus – até então, os táxis tinham autorização para usar as faixas exclusivas. A partir do dia 25, as seletivas serão parte do sistema de faixas olímpicas.

A reformulação do traçado e a redistribuição das faixas permitiram à Secretaria Municipal de Transportes aumentar a capacidade do corredor exclusivo de ônibus na Avenida Brasil, adicionando mais uma faixa no trecho entre Irajá (Avenida Meriti) e Caju (Rua Ricardo Machado).

Ao longo da via serão instaladas placas e faixas informando sobre a utilização do corredor exclusivo somente por ônibus autorizados, além de fiscalização eletrônica para garantir que apenas os coletivos circulem nas pistas seletivas. Os veículos não autorizados flagrados em circulação nas faixas restritas estarão sujeitos à aplicação de multa grave (perda de cinco pontos na CNH).

(G1)

Como montar uma horta caseira

Ter uma horta em casa, além de dar um charme ao ambiente e um aroma todo especial, faz bem para a saúde, ajudando a purificar o ar, e, é claro, aproveitando as ervas, hortaliças e temperos no preparo dos alimentos. Por isso, resolvemos fazer o post de hoje com dicas de como montar uma horta caseira. Confira!

– Pra começar, vale ressaltar que ter uma horta em casa não demanda muito espaço. Mudinhas em pequenos jarros ou outros recipientes podem ser colocadas até nos parapeitos de janelas, por exemplo, ou penduradas em alguma parede.

– Jardineiras são ótimas opções para a falta de espaço, já que podem abrigar diferentes mudinhas. Porém, não são todas as espécies que podem dividir o mesmo espaço. Dentre as combinações que dão certo, estão: alecrim, tomilho e sálvia; manjericão, anis, carqueja e sálvia; manjericão, manjerona e cebolinha.

– A hortelã, por exemplo, tem raízes invasoras, que destroem as de outras espécies. Como a salsinha, deve ser plantada sozinha. Também podem ser plantadas sozinhas as plantinhas que são mais usadas.

– Dentre os cuidados mais importantes estão regar as mudas todos os dias e deixar que peguem sol cerca de quatro horas por dia, assim, podem melhor se desenvolver. Além disso, é indicado colocá-las num local protegido do vento. Também se deve atentar para a boa drenagem dos vasinhos, evitando o apodrecimento das raízes.

– Como se trata de uma horta caseira, pode-se optar pelo uso de adubos naturais. Além da torta de nim, que aduba e agasta pragas, existem o húmus de minhoca e a torta de algodão, por exemplo.

– O preparo do solo é grande parte do sucesso de uma horta. Em vasos, caixas ou canteiros, a terra precisa ter um equilíbrio. Misture duas partes de terra comum com uma parte de composto orgânico (ou húmus de minhoca) e uma parte de areia. O solo deve estar fofo para que as pequenas raízes possam crescer.

– Nas mudas de manjericão o cuidado com a poda deve ser dobrado, já que as flores da muda roubam todo o aroma das folhas.

– Se cultivar hortaliças for um problema por causa das lagartas, a solução pode estar em outra planta. A capuchinha, que produz flores comestíveis, costuma ser mais apreciada por larvas do que as hortaliças. Alterne-as com as verduras no canteiro.

– Sugestões para a horta na sua casa: tomilho, tomilho-limão, alecrim, hortelã, lavanda, capim-limão, manjericão, citronela, cebolinha, orégano, sálvia e bálsamo.

Esperamos que gostem das dicas e se animem para ter a sua própria hortinha caseira!

Mão na massa!

Obrigatoriedade de gerador em edifícios é considerada inconstitucional

O PL 1.498/2016 que “obriga a instalação de gerador de energia em prédios dotados de elevadores e dá outras providências”, foi considerado inconstitucional pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) nesta quarta-feira (6/7).

De acordo com os deputados, a matéria é de competência do município, responsável por discutir assuntos de interesse local.

Vale ressaltar que o fornecimento de energia elétrica se dá em caráter de continuidade e de eficiência, não sendo cabível a transferência de qualquer responsabilidade para o contratante no caso de falha na prestação de serviços.

Além disso, tratam-se de casos eventuais que não justificariam o alto investimento para instalação de geradores por parte dos edifícios públicos e privados.

Em termos operacionais, também há que se considerar a impossibilidade física da instalação dos geradores somada a poluição ambiental provocada na população habitante da edificação.

(Secovi Rio)


Warning: html_entity_decode(): charset `ISO-8559-1' not supported, assuming utf-8 in /home/atlantid/public_html/blog/wp-includes/general-template.php on line 3237
1 215 216 217 218 219 253