Conheça o Seguro Alug Atlântida!

Não é segredo que a economia no Brasil anda oscilante nos últimos anos e, mesmo que já dê sinais de recuperação, ainda é necessário que tenhamos cuidados e atenção com o assunto. Sendo assim, a instabilidade financeira é um fantasma que assombra a todos, especialmente por prejudicar o pagamento de contas como o aluguel e o condomínio.

Para lidar com essa realidade, algumas soluções foram criadas para esses momentos, garantindo a tranquilidade de todos. É o caso do Seguro Alug Atlântida, um seguro de vida com custo bastante reduzido, uma vez que é contratado através de uma apólice coletiva.

Em suas garantias básicas, o segurado, em caso de morte ou invalidez, não precisará se preocupar com o pagamento das despesas de aluguel, cota condominial e IPTU com vencimento dentro do período de 6 meses. A indenização será de até R$60.000,00 no total, ou seja, o capital mensal será de até R$10.000,00 por mês, e o pagamento se iniciará no mês seguinte à ocorrência do sinistro.

Nos casos de indenização por desemprego, o locatário titular deverá comprovar vínculo empregatício (carteira de trabalho assinada) e estar trabalhando, no mínimo, há 1 ano ininterrupto. O sinistro fica caracterizado a partir do 31º dia de desemprego. Além disso, caso o segurado permaneça desempregado durante o período indenitário, a indenização será o pagamento de até 3 recibos de aluguéis consecutivos, limitados a R$4.000,00 ao mês.

Os principais diferenciais do Alug Atlântida são os seguintes:

  • Sem limites de idades;
  • Cobertura para invalidez por doença;
  • Custo reduzido: o seguro será debitado mensalmente no recibo do aluguel, sendo equivalente a 0,13% do capital segurado;
  • Fedcorp Farmácia: com ele, o segurado tem direito a até 65% de desconto em medicamentos.

Não deixe de garantir a segurança e tranquilidade de não precisar se preocupar com o pagamento destas taxas em casos de imprevistos!

Para mais informações, entre em contato conosco. Nossos especialistas terão um grande prazer em tirar suas dúvidas e explicar como o Alug Atlântida poderá facilitar o seu dia a dia. 

Convenção Coletiva de Trabalho 2019 – Condomínios

O Secovi Rio firmou a Convenção Coletiva de Trabalho para a categoria de empregados de edifícios residenciais, comerciais e mistos dos municípios de Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Belford Roxo, Cabo Frio, Casimiro de Abreu, Duque de Caxias, Guapimirim, Iguaba Grande, Itaguaí, Japeri, Magé, Nilópolis, Nova Iguaçu, Paracambi, Queimados, Rio das Ostras, Rio de Janeiro, São João de Meriti e São Pedro da Aldeia, com vigência a partir de 1º de abril de 2019.

O percentual de reajuste dos salários ficou estabelecido em 5,10% (cinco vírgula dez por cento) sobre o salário vigente em 01 de abril de 2018, com vigência a partir de 01.04.2019.

Os pisos salariais de admissão, que estão fixados na cláusula terceira, são:

a) Porteiro, Porteiro Noturno, Vigia e Zelador: R$ 1.401,50 (um mil, quatrocentos e um reais e cinqüenta centavos).

b) Servente, Faxineiro e demais empregados da categoria profissional: R$ 1.224,35 (um mil, duzentos e vinte e quatro reais e trinta e cinco centavos).

c) Guardião de Piscina: R$ 1.370,25 (um mil, trezentos e setenta reais e vinte e cinco centavos).

d) Funcionários do setor administrativo de Shoppings e Apart-hotéis: R$ 1.391,84 (um mil, trezentos e noventa e um reais e oitenta e quatro centavos).

As diferenças salariais advindas da aplicação da Convenção Coletiva de Trabalho serão pagas juntamente com o salário de julho/2019.

Caso seja de seu interesse, a íntegra desta Convenção Coletiva já está disponível na área restrita do site da Atlântida, www.atlantida-adm.com.br, na opção Leis e Manuais.

Atenciosamente,

Atlântida Administradora

O que diz a lei sobre individualização da água em condomínios?

A economia de água é uma necessidade no Brasil, e, a cada dia que passa, precisa ser uma realidade nas casas e apartamentos. Esse recurso natural impacta diretamente a vida de todas as pessoas, e, por isso, deve ser preservado. 

Além da questão ambiental, também existe a questão financeira, já que a economia da água também traz bons resultados nas contas. Este deve ser o pensamento em edifícios e condomínios. Por isso, é necessário falar sobre a individualização da água. A instalação de hidrômetros individuais pode representar uma economia de até 15% dos gastos de um condomínio. Isso acontece, principalmente, pois, ao saber seus próprios gastos mensais, a tendência é que o morador passe a economizar ainda mais o recurso.

 

Mas o que diz a Lei sobre a individualização da água?

Em 2016, o Governo Federal sancionou uma lei que obriga a medição individual. Os condomínios novos têm um prazo de 5 anos para se adequar à nova legislação, ou seja, até 2021. A lei 13.312 modifica a lei sobre saneamento básico ao dispor que a obrigatoriedade vale para novos condomínios, pois entende-se que os custos de alteração seriam muito altos para os condomínios mais antigos.

 

Como aprovar essa mudança entre os moradores?

Aqui, o primeiro ponto a ser ressaltado é que a aprovação dos condôminos é essencial. O síndico deve convocar uma assembleia com a mudança como pauta principal. É importante que se observe a convenção e o regimento interno do condomínio, para saber se ambos dão algum direcionamento sobre em qual segmento a mudança se encaixa. Caso seja entendida como uma obra necessária, precisará apenas da aprovação da maioria simples dos presentes na assembleia. Se for considerada uma obra útil, seria preciso o voto da maioria total do condomínio.

 

Meu condomínio é antigo e queremos fazer a mudança. O que eu preciso saber?

A primeira coisa que deve-se ter em mente é que fazer a instalação de medidores individuais em condomínios antigos pode ser mais complexo do que nos mais novos. Sendo assim, os custos podem variar dependendo do caso.

 

Para fazer orçamentos e planejar a obra, o ideal é contratar uma empresa especializada para a realização de uma vistoria técnica, buscando verificar a possibilidade de executar tais mudanças. Se a reforma for possível, um bom jeito de saber se valerá o investimento é verificar se o custo total da conta de água dividida entre os condôminos é maior que o valor da individualização. Se sim, a mudança é viável e gerará grandes economias.


Warning: html_entity_decode(): charset `ISO-8559-1' not supported, assuming utf-8 in /home/atlantid/public_html/blog/wp-includes/general-template.php on line 3237
1 3 4 5 6 7 247