Tag: saúde

Dicas para preservar a saúde mental em tempos de crise

Para uma população que nunca precisou se privar das atividades do trabalho, escolar ou até do lazer, a reclusão social pode representar um conflito na rotina, afetando diretamente a saúde mental. Pensando nisso, a professora de Psicologia da Universidade Católica de Brasília, Andréa Garzesi, separou algumas dicas para este período, confira!

  • Procure trazer a memória e compartilhar com amigos e familiares, mesmo a distância por meio de mídias sociais, momentos e situações vivenciadas que tragam esperança;
  • Estabeleça contato com as avós e avôs, uma sugestão: instigando-os a contarem suas histórias de vida e mostrarem seus álbuns de fotos;
  • A tecnologia é uma forma de nos aproximar nesse momento em que estamos em afastamento social, experimente e explore os apps de comunicação;
  • Para além de tarefas, busque, acolher e conversar com as crianças, pois elas poderão apresentar uma dificuldade de compreender a situação como nós adultos;
  • Pais ou responsáveis devem realizar as atividades juntos com as crianças, assim, os mesmos não ficam por muito tempo conectados a aparelhos eletrônicos e ou, internet. Algumas brincadeiras: Jogo de varetas; Serra-serra, serrador; Morto-vivo; Adoleta; Estátua; Cabo de Guerra; Adedonha; Corrida no saco; Mímica; Origami; Dama; Xadrez; Jogo da Velha; Anagramas; Forca; Busca ao dicionário (significado da palavra) quem achar primeiro; Dança das cadeiras; Dominó; Jogo da Memória; Telefone sem fio.
  • Existem várias possibilidades. O importante é manter uma rotina e organizar a vida das crianças para esse momento. Elas também sentem o impacto do isolamento social.
  • Importante filtrar informações: nestes períodos, é muito comum o compartilhamento de informações em massa, portanto é sempre importante procurar informações em veículos de comunicação confiáveis (como os governamentais, por exemplo). O excesso de informações pode contribuir para o aumento dos níveis de ansiedade.
  • Algumas pessoas têm como gatilho da ansiedade a sensação de inutilidade e improdutividade, então estabelecer pequenas metas pro dia-a-dia pode ajudar bastante;
  • Sentimentos e comportamentos como tensão constante, pressentimento de que algo ruim vai acontecer, medo, ansiedade, tristeza, pensamento acelerado ou focado em um problema com dificuldade de esquecimento e agitação corporal, poderão aparecer neste momento, fique calmo, pois são reações comuns e normais diante da situação que estamos vivendo.

Animais em condomínios: Regras que evitam dor de cabeça

 

Neste sábado, 14 de março, comemoramos o Dia Nacional dos Animais. Essa data foi escolhida para conscientizar as pessoas sobre os cuidados que devem ser dados aos animais.

 

Dentro dos condomínios residenciais, existe aquela velha história relacionada aos animais domésticos: O condomínio pode ou não pode proibir que os moradores criem seus pets dentro de casa?

 

A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), decidiu em 2019, que convenções de condomínios residenciais não podem proibir moradores de criar animais em apartamentos ou casas. Pelo entendimento da Turma, a proibição só se justifica se o animais representar risco à segurança, higiene, saúde ou ao sossego dos demais moradores. 

 

Embora essa decisão já tenha sido tomada, diversos vizinhos de criadores de pets, distribuem reclamações como barulho excessivo, mau cheiro, e sujeira. O condomínio é um local onde a boa convivência precisa ser preservada, logo, alguns cuidados devem ser seguidos para evitar atritos. Confira: 

 

  • Bom senso em primeiro lugar.
  • Cuide bastante da saúde do seu animal, assim pode-se prevenir a transmissão de doença para pessoas ou para outros pets do condomínio.
  • Não seja inconveniente a ponto de criar uma quantidade grande de gatos ou cachorros dentro de seu apartamento. 
  • Recolha sempre as necessidades de seus animais. 
  •  Mantenha os animais nas coleiras ao passear nas áreas comuns.
  • Respeite os locais proibidos.